Cálculo do frete: como é feita a precificação de transporte?

Cálculo do frete: como é feita a precificação de transporte?
06/06/2018 - 16:50

Como se sabe, o caminhoneiro recebe o seu pagamento, que é chamado de frete, resultado do transporte de mercadorias feito no tempo estipulado e de forma segura.

Entretanto, muitos caminhoneiros, tanto os que trabalham em transportadora quanto os motoristas autônomos, acabam cobrando esse valor de forma equivocada ou aceitando quantias muito abaixo do justo pelo seu serviço.

Neste texto, vamos mostrar a importância de receber a remuneração certa por meio do cálculo do frete, além de citar quais pontos devem entrar nessa conta. Para saber mais é só continuar lendo o post.

A importância do valor do frete

Caso você trabalhe para uma transportadora ou outro tipo de empresa, é importante que você saiba se o valor estipulado como frete cobre todos os gatos com o serviço de transporte.

Lembre-se que tanto você quanto a empresa tiveram custos para que a entrega fosse concluída, e nada mais justo de ter esse valor devolvido com um percentual de lucro.

Para um caminhoneiro autônomo, o problema pode ser ainda mais visível, já que será ele quem arcará com todos os custos, fora o tempo da própria viagem. 

Outra questão que influencia toda a comunidade ao cobrar um valor muito baixo ou muito alto pelo frete é a desvalorização do mercado de caminhoneiros. Uma empresa claramente busca fazer economias quanto ao seu serviço de transporte e muitas vezes vai optar pelo profissional que está cobrando mais barato pela entrega.

Caminhoneiros que calcularam o seu frete da forma correta terão que diminuir bastante o seu valor para conseguirem clientes, atitude que vai desvalorizando a profissão e até mesmo influenciando negativamente a qualidade do serviço, já que não terão dinheiro o suficiente para fazerem melhorias ou ajustes em seus caminhões.

Ganho real

Muitos caminhoneiros podem não se atentar a essa informação, mas uma parte do valor do frete não fica com ele (nem mesmo os autônomos). Isso porque o profissional terá certos custos para realizar a viagem, como combustível, alimentação, pedágio, manutenção do veículo, etc. 

E a forma com que o caminhoneiro pode ressarcir esse valor é por meio do frete. O resultado real, ou seja, o valor que ficará com você para pagamentos de contas pessoais ou outros fins, é chamado de lucro. 

Para calcular o lucro do seu frete, anote todos os gastos que você costumeiramente tem com o seu trabalho, como os pontos já citados anteriormente a distância e o tempo gasto realizado com a entrega, e subtraia-os do valor total recebido.

Mas antes de começar a calcular o frete de fato, é necessário entender quais as etapas que compõem o processo de entrega de cargas.

A primeira é o pedido de coleta da carga, no qual a empresa interessada faz a solicitação com uma empresa terceirizada ou contata os caminhoneiros próprios ou terceirizados para realizar essa função.

A segunda fase é a coleta, na qual a mercadoria será levada para um armazém onde deverá ser pesada, providenciado os documentos para a legalização do serviço de frete, confirmação da rota de entrega e finalmente o embarque no veículo.

Por último temos a entrega, na qual a carga chega ao seu local de destino e é descarregada e conferida com o pedido de compra e o documento fiscal.

Custos que devem ser adicionados no cálculo do frete

Agora que você entendeu a importância de cobrar um valor justo em seus fretes, é necessário conhecer alguns dos custos que devem ser adicionados na conta do cálculo para que você não tenha nenhum tipo de prejuízo ou surpresa no final do mês.

Custos diretos

Os primeiros gastos que devem ser analisados são os custos com combustível e pedágio durante a viagem, além dos com manutenções preventivas e rotineiras, já que são elas que garantem a integridade do caminhão e da carga, garantindo que tudo chegue em segurança ao seu destino final.

Outro custo importante, principalmente para as transportadoras, é o salário do motorista, já que ele será o principal responsável pelo transporte da carga. Autônomos também podem adicionar esse valor como uma base para que não tenham prejuízos.

Caso você conte com a ajuda de terceiros, os seus respectivos pagamentos também devem aparecer na conta. Depois, adicione os valores com estacionamento, pedágio e hospedagem (caso você não durma no próprio caminhão).

Custos indiretos

Além dos custos diretos, que são facilmente percebidos, existem os chamados custos indiretos, que são mais difíceis de serem calculados, mas que também representam um gasto para o caminhoneiro e que precisa ser “devolvido”.

O gasto do pneu é um deles, já que é difícil quantificar quanto de material foi desgastado em cada viagem. Para encontrá-lo, descubra qual o valor do jogo de pneus que você utiliza e qual a quilometragem estipulada para que eles sejam trocados. Depois, faça a proporção entre o valor das peças e os quilômetros rodados da viagem.

Seguindo o mesmo princípio, a desvalorização do caminhão como um todo também pode ser cobrada. Infelizmente, veículos não duram para sempre, e deverão se deteriorar aos poucos na medida em que forem usados.

Para encontrar esse valor, faça a proporção entre a quilometragem rodada e a vida útil do caminhão, dados que podem ser conferidos por meio de uma tabela disponibilizada pela concessionária na qual ele foi comprado.

Gastos com documentação, impostos e seguros também são tidos como custos indiretos, já que são gastos obrigatórios e feitos anualmente. Além de tudo isso, é importante que você deixe pelo menos 10% do valor total do frete para imprevistos.

Com todas as informações em mãos, só é preciso somar os valores e você terá uma base de quanto cobrar pelos fretes. Obviamente, não será necessário estipular esse valor em todas as cargas, pois informações como o tamanho e tipos de carga também precisam ser considerados na hora da negociação.

Atualmente já existem aplicativos que fornecem não apenas um banco de dados sobre os fretes disponíveis para a sua região (o que facilita o trabalho do caminhoneiro, podendo adquirir até mesmo entregas durante a volta) mas também dão segurança para encontrar um valor justo para ambos os lados e o cumprimento do que foi acordado.

Portanto, reconhecer quais são todos os custos envolvidos com o seu trabalho de caminhoneiro e adicioná-los ao cálculo do frete é muito importante, pois, além de evitar que você tenha prejuízos, você mostrará profissionalismo e ajudará a valorizar o trabalho do caminhoneiro na sociedade.

Caso tenho gostado do texto, nos siga nas redes sociais! Assim você ficará atualizado sobre as postagens e as novidades da empresa! Estamos no Facebook, no Instagram, no Twitter, no LinkedIn e no YouTube.